Itacaré com cacau e chocolate

14/03
Jorge Amado é o baiano que melhor conta esta história. A saga do Cacau no sul da Bahia começou em meados do século XVIII e permanece viva nas cidades que formam a Costa do Cacau, zona turística atrativa pela riqueza natural e por esta herança histórica marcada por lutas, extravagâncias, lendas, coronelismo e declínio. 
 
O clima quente e úmido, bastante similar ao habitat natural do cacau foi o principal motivo para o florescimento da economia cacaueira nesta região. Graças a Bahia, o Brasil ocupou o posto de maior produtor mundial até meados da década de 1920 – época em que os poderosos coronéis não mediam esforços e nem violência para expandir seus negócios. 
 
Do fruto de ouro, que enriqueceu fazendeiros a ponto de acenderem cigarros com notas graúdas, o produto mais cobiçado pelo mercado nacional e internacional sempre foi o chocolate, obtido da moagem dos caroços secos em processo industrial ou caseiro. Agora, que a Páscoa vem chegando com o feriado de Semana Santa, vale fazer uma viagem de turismo rural e histórico nas cidades da Costa do Cacau para conhecer um pouco mais da cultura deste fruto.!
 
A fazenda Santana, em Itacaré, é uma com portas abertas para visitantes. É por lá que é feito o chocolate Morbeck– vencedor de três prêmios internacionais, além de biscoitos, geléias, bolos e doces. Na visita, dá para acompanhar o plantio do cacau, o processo produtivo, a estrutura de trabalho e outras curiosidades sobre a fabricação dos produtos. De quebra, você vai comer muito chocolate de degustação e experimentar outras delícias no café e no almoço que encerra o passeio. 
 
Quer vir na Semana Santa? Confira nosso pacote
 
Fazenda Santana:  73 3613-4908  www.fazendasantana.com.br